Notícias
Startup baiana, SANAR, recebe aporte de R$ 60 milhões

15 de abril de 2020
TEMPO DE LEITURA
4 MIN

 

O novo coronavírus parou o mundo, mas não totalmente. Durante a crise causada pela pandemia, a startup brasileira SanarMed recebeu um aporte de 60 milhões de reais liderado pelos fundos Valor Capital e DNA Capital. A empresa, que atua na área médica, irá usar os novos recursos para aperfeiçoar suas ferramentas tecnológicas e ampliar seu quadro de funcionários.

As negociações para a rodada de investimento começaram em novembro e só foram finalizadas em março, no “meio do furacão”, como diz o fundador e presidente da startup, Ubiraci Mercês. Apesar da situação nebulosa no curto prazo, ele acredita que os dois focos da empresa, saúde e educação à distância, vão ficar mais fortes depois da crise.

A empresa oferece uma plataforma online de conhecimento e informação para médicos e profissionais da saúde. Para cada uma das várias fases de formação do médico, há um produto específico da startup.

Foi essa possibilidade de atender aos clientes médicos ao longo de suas carreiras que chamou atenção de Antoine Colaco, sócio da Valor Capital Group. Na visão dele, a Sanar “pode transformar a saúde de maneira disruptiva”.

Já Luiz Henrique Noronha, diretor de Venture Capital da DNA Capital, afirma que o fundo decidiu investir na startup por acreditar que a empresa está empurrando “as fronteiras do que é possível ser feito em saúde”.

Em abril de 2018, a companhia havia feito uma rodada de investimentos série A de valor não revelado, liderada pelos fundos e.Bricks Ventures e Vox Capital. Ambos participaram novamente nesta rodada.

“Netflix” dos médicos?

Aos clientes, a SanarMed oferece três grandes produtos. Para a fase de graduação do médico, a empresa tem o SanarFlix: uma plataforma online de educação. Com uma assinatura mensal de 24,50 reais, o estudante consegue acessar milhares de conteúdos em vídeo feitos por professores de medicina. A proposta do produto é auxiliar nos estudos, então há aulas introdutórias e mais aprofundadas sobre cada tema da faculdade.

Depois, a startup oferece um programa para a residência médica, etapa em que o profissional começa a se especializar. O Sanar Residência Médica nada mais é que um curso preparatório à distância que ajuda os alunos a estudar para as provas de seleção da residência. O programa de um ano custa 2.000 reais.

Para a fase em que o médico já está formado e atendendo ao público, existe o Sanar Yellow, que custa 8,90 reais por mês. A plataforma atua como uma enciclopédia online para o profissional. Durante o antedimento, o médico pode consultar rapidamente informações que podem ajudá-lo a tomar decisões mais rápidas e assertivas.

Todo conteúdo disponível é produzido por médicos e professores de medicina parceiros da SanarMed. São 80 profissionais contratados e mais 2.500 especialistas que auxiliam na comunidade de produção de conteúdo. Ao todo, mais de 150.000 profissionais de saúde já compraram algum dos produtos da startup.

O presidente da SanarMed diz que a empresa entende que dar mais conteúdo para o médico é central para tornar o sistema de saúde mais eficiente e barato. “Nos próximos anos, nossa meta é conseguir entregar conteúdos para toda a vida do profissional”, afirma Mercês.

FONTE: https://exame.abril.com.br/pme/sanarmed-netflix-dos-medicos-recebe-aporte-60-milhoes/