Eventos
Nova política estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação

06 de dezembro de 2019
TEMPO DE LEITURA
3 MIN

Mais de 260 delegados eleitos pelo ecossistema de ciência, tecnologia e inovação estarão reunidos em Salvador até sexta-feira (6) para trabalhar na elaboração da nova Política Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação. A abertura do evento aconteceu na manhã desta quinta-feira (5), no Hotel Fiesta, em Salvador.
A IV Conferência Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação reúne entre os delegados, eleitos em 11 macroterritórios do estado, representantes do setor público, acadêmico, empresarial e de entidades da sociedade civil.
A secretária estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, Adélia Pinheiro, destacou a participação de representantes que contemplem as demandas dos 417 municípios baianos. “Esperamos que ocorram discussões em torno das proposições que foram apresentadas nas conferências macroterritoriais. A partir daí, teremos as linhas e principais eixos que nortearão a nova política estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação. É importante pontuar que esses delegados são representantes legítimos das demandas e segmentos envolvidos neste setor. Temos duas novidades aqui, uma é a ampliação dos segmentos que participam da conferência, e a outra é o espraiamento para o interior”, pontuou.
De acordo com o coordenador da Conferência, Edson Valadares, o encontro tem um caráter de discussão e aperfeiçoamento das políticas. “Todos os segmentos que participam do evento poderão dar sua contribuição e serão acolhidas e sistematizadas para compor essa nova política. Além disso, abordamos no nosso encontro a preparação para a sociedade 5.0 que tem relação com a necessidade de transformação que devem ser adotadas para potencializar o desenvolvimento do estado”, explicou.
Edital 
Durante a IV Conferência também foi realizado o lançamento de um edital destinado à promoção de pesquisas com foco nas soluções de doenças que acometem a população negra. O edital é da Fundação de Amparo à Pesquisa da Bahia (Fapesb), vinculada à Secti, e tem recurso de R$ 1,1 milhão do Governo do Estado.
A secretária de Promoção da Igualdade Racial, Fabya Reis, participou do lançamento e pontuou a relevância da iniciativa. “Esta é uma ação transversal que tem extrema importância para a população negra da Bahia. O edital proporciona o trabalho de pesquisa sobre as doenças prevalecentes na população negra e seus agravos. Poderemos avançar e preparar um conjunto de orientações ao nosso governo para aprimorar as políticas públicas e integrar também o Centro Estadual de Combate a Anemia Falciforme”.
Repórter: Jairo Gonçalves / Secom-Ba